Roboat – o robô aquático autônomo do MIT

Por Matheus Soares – aluno Tech do segundo semestre.

O MIT, junto com o AMS Institute (Amsterdam Institute for Metropolitan Solutions), desenvolveu um robô aquático autônomo chamado “Roboat”. Investigadores da universidade criaram o barco como uma forma de explorar novos meios de transporte e ajudar a melhorar o fluxo de tráfego, especialmente em Amsterdã, onde um quarto da superfície da cidade é água.

Os Roboats têm a capacidade de reconhecer um ao outro, unir-se e continuar tentando se não se conectarem na primeira tentativa.

De acordo com o MIT News, os cientistas planejam construir uma frota de Roboats multiuso equipados com “sensores, propulsores, microcontroladores, módulos GPS, câmeras e outros equipamentos”. Eles dizem que os Roboats podem ajudar no transporte e coleta de lixo em Amsterdã.

Atualmente, os Roboats têm a capacidade de evitar obstáculos e se redirecionam quando sentem algo em seus caminhos. Futuras iterações podem até ser usadas para criar plataformas maiores, como palcos flutuantes e pontes.

De acordo com o site oficial do projeto, o objetivo dos pesquisadores é criar uma “infraestrutura sob demanda” que coletará dados sobre Amsterdã enquanto investiga “o potencial da tecnologia autônoma para mudar nossas cidades e seus canais”. Fala-se até mesmo em usar Roboats para criar mercados flutuantes de alimentos.