O uso do reconhecimento facial no setor comercial

Por Rafael Pignataro – aluno Tech do 2o semestre

“A rica e imediata percepção de uma face familiar, incluindo sua identidade, expressão e mesmo intenção, é uma das mais impressionantes faculdades divididas pelo cérebro humano e de primatas não-humanos” (FABER, 2006, p. 15).Contudo implementar isso de forma automática e computadorizada é um desafio e um tema que abrange muitas pesquisas desde 1960 e, ainda hoje, busca-se seu aprimoramento. Nós, seres humanos, armazenamos durante a vida muitas imagens de rostos alheios e temos a capacidade de assimila-los a identidades que conhecemos, ou mesmo distinguir a expressão produzida por essas faces. Esse é o desafio enfrentado pelos pesquisadores que buscam reproduzir esse efeito em softwares: identificar, de forma precisa, padrões em imagens que possam distinguir pessoas ou dizer qual é o sentimento delas sobre algo.

Ao longo dos anos, com essas pesquisas e avanços tecnológicos, foi possível de forma cada vez mais assertiva “reproduzir” a inteligência humana. A partir de subáreas da Ciência da Computação, como a Visão Computacional que capacita o computador de entender características da imagem e o Processamento Digital que desenvolve algoritmos que extraem informações dessas imagens. Assim, com a eficiência desse método, ele foi e é usado para aprimorar diversas áreas de trabalho como o desbloqueio de dispositivos, a garantia sobre a entrada de pessoas autorizadas em locais privados, o uso policial na busca de suspeitos e criminosos e outras diversas áreas.

Por fim, é visível o auxílio que o reconhecimento facial pode dar em comércios como lojas, mercados, e outros locais através da identificação de clientes antigos e novos ou suas expressões diante dos produtos, podendo assim exibir propagandas ou novos itens do estabelecimento de forma categórica a eles ou armazenar esses dados para promoções futuras direcionadas com maior precisão aos consumidores.

Fontes:

Clistenis, U. (27 de Maio de 2008). ASPPAPE. Fonte: ASPPAPE: http://asppape.org.br/o-que-e-reconhecimento-facial/

Faber, J. (nov/dev de 2006). O reconhecimento facial é baseado na comparação das faces com padrões pré-estabelecidos. O que há de novo na Odontologia, p. 15.

Miranda, J. (04 de Fevereiro de 2017). Reconhecimento Facial – Soluções e Aplicações em Reconhecimento Biométrico Facial. Fonte: Reconhecimento Facial: http://reconhecimentofacial.com.br/2017/02/04/empresa-brasileira-desenvolve-solucao-de-reconhecimento-facial-voltada-a-shopping-centers-centros-comerciais/