Juiz Artificial

Por Lucas Zillig – Aluno Tech do 2o semestre

A Estônia iniciou um projeto ambicioso: desenvolver uma inteligência artificial que atuará como juiz em casos de pequeno porte, assim permitindo os juízes humanos a se concentrarem casos mais complexos. A IA tomará suas decisões com base em um banco de dados que contém todas as leis do país.

Vale ressaltar que tal inteligência artificial não vem para substituir completamente o humano, mas sim para facilitá-lo, livrando-o de trabalhos mais repetitivos e burocráticos, o que o grande ideal por trás da IA. Além disso, todas as decisões tomadas pelo “juiz robô” serão analisadas e, se necessário, revertidas.

Esse projeto só é viável devido ao fato de toda a população da Estônia estar registrada digitalmente (permitindo até mesmo votações online), conectada e integrada a todos os outros bancos de dados do governo.

A maior preocupação dos especialistas em relação ao juiz está em casos precedentes em que a IA poderá se basear para tomar sua decisão. Por exemplo, em determinado caso dois homens foram presos por um assalto, um negro e outro branco, e o negro recebeu uma pena maior. A IA poderia analisar tal caso e acabar cometendo algo parecido, mas não porque ela em si é racista, e sim porque o juiz daquele caso foi.

Links: 

https://canaltech.com.br/inteligencia-artificial/estonia-esta-desenvolvendo-o-primeiro-juiz-robo-do-mundo-136099/

https://epocanegocios.globo.com/Tecnologia/noticia/2019/04/estonia-quer-substituir-os-juizes-por-robos.html