Dados sobre Pokémon são armazenados em área específica do cérebro

Por Lucas Zillig – aluno Tech do 2º semestre

A revista Nature publicou um estudo realizado na Universidade de Stanford concluindo que crianças que tiveram experiência com os jogos da franquia Pokémon, principalmente entre os 5 e 8 anos, guardam informações sobre eles em uma região do cérebro chamada córtex visual.

Além disso, durante os testes, o Giro Fusiforme, outra região do cérebro, que está associada à capacidade de reconhecimento, foi frequentemente ativa. Segundo os pesquisadores, “as representações funcionais inerentes ao córtex visual combinadas com o comportamento de visualização consistente de estímulos específicos durante a infância resultam em uma topografia funcional compartilhada na idade adulta”.

Portanto, segundo o estudo, crianças expostas aos jogos de Pokémon durante a infância estão sujeitas a ter uma memória visual mais desenvolvida em relação às que nunca jogaram, principalmente devido a excentricidade das criaturas presentes nos jogos.

Link: 

https://www.nature.com/articles/s41562-019-0592-8